MINIBIO
Artista visual desde 2013, quando aos 50 anos inicia na fotografia e na poesia visual, a partir de 2016 começa a atuar profissionalmente. Nasceu em Porto Alegre (RS) em 1962. Migrou para Cuiabá, Centro Geodésico da América do Sul, onde vive há mais de 30 anos. Antes, foi farmacêutica industrial, mestre em Saúde e Ambiente, servidora pública,  professora e pesquisadora com foco em plantas medicinais e educação ambiental.
Frequentou cursos livres destacando-se aqueles realizados com a fotógrafa Jacqueline Hoofendy (2016 e 2017) e com o artista em novas mídias Scott MacLeay (2018), que desencadearam um novo processo criativo. Participou de residências como Mulheres em Residência (PR/Brasil, 2021) e IRANRAN INA do Coletivo Ruidosa Alma (RS/Brasil, 2021).
Desenvolve trabalhos que se movem no campo da performatividade com autorretratos e da cartografia afetiva de territórios, sejam eles internos ou externos, naturais ou urbanos, que fornecem componentes psíquicos com interface à sua biografia. Toda as etapas da produção são realizadas por ela, representando o conceito de "Artista-etc" de Buasmam (2013). A compreensão dos fatores determinantes deste processo e das unidades de significado resultantes da intensa pesquisa em bases de dados científicas que realiza, tecem semelhanças entre o meu microcosmo e a coletividade, na busca do entendimento do fenômeno em questão. 
Recebeu premiações, realizou exposições individuais e coletivas, nacionais e internacionais como Festival Hercule Florence (2021), Foto em Pauta Tiradentes (2020), Bienal Black Brasil Art. Mulheres (in)visíveis (2019), Festival Internacional FestFoto Bolívia (2018) e FestFoto Porto Alegre (2018). Recebeu o Prêmio MTARTES 2021 Artes Visuais e 2º Lugar na Convocatória Internacional HuellArts DigitaL, Espanha, 2021. Foi selecionada em editais Estadual e Municipal para desenvolver projetos com mostra fotográficas, instalações e produtora cultural.
Integra o Coletivo Aruaz de Mulheres Fotógrafas e o Coletivo Literário Maria Taquara, neste último com foco na produção de fotopoemas e poesia experimental. Também atua como curadora independente.
Apresentação do cordel autobiográfico elaborado para o Programa “É Bem Mato Grosso / Rede Globo-MT” quadro “Pau Rodado”. As gravações ocorreram no Horto Florestal de Cuiabá. 
A expressão "Pau Rodado", típica do vocabulário cuiabano, representa aquelas pessoas que migraram para Cuiabá e se fixaram na cidade, em busca de melhores oportunidades. ' O pau roda pelo rio e quando encontra terra fértil, finca no chão, criando raízes.'
CURRÍCULO
Disponível na Plataforma Internacional de Pesquisa e Pesquisadores - ORCID
voltar ao topo